PARCEIROS

Cuidados com seus acessórios Inox

As peças em aço inox de seu barco, também precisam de alguns cuidados específicos. Elas se contaminam ao contato com peças de aço comum e acabam oxidando. É importante evitar o contato de objetos de aço comum com o inox. A contaminação pode afetar profundamente a peça e a remoção da oxidação é difícil. Quando acontecer, uma solução levemente ácida (à base de vinagre ou de limão) deve ser usada na limpeza. É normal que o aço inox exposto à maresia apresente uma oxidação superficial de cor escura. Essas manchas podem ser removidas com limpadores de metal (Kaol ou Brasso) ou também com uma solução de vinagre ou suco de limão. As peças metálicas, de inox e alumínio, devem ser lavadas periodicamente e protegidas com óleo do tipo WD-40. Lembrando que para existir o brilho de seu acessório inox, a peça é polida em alta rotação com a utilização de abrasivos específicos para inox, sendo assim, com o tempo o brilho irá diminuir e só será refeito com polimento de alta rotação. Cuide bem de suas peças inox para que elas fiquem lindas e brilhantes por mais tempo.

Produtos que devem ficar longe de seus acessórios Inox

Esponjas rugosas ou palhas de aço devem ser totalmente evitadas, seja para limpar superfícies de fibra, seja para limpar peças de metal ou de aço inox. Além de impróprias por arranhar o gelcoat, seus resíduos podem causar sérios problemas, penetrando na fibra e formando manchas de ferrugem cuja remoção é impossível. Produtos de limpeza à base de cloro, assim como saponáceos e sapóleos abrasivos (em pasta ou em pó), também são desaconselháveis, pois além de quimicamente nocivos ao gelcoat, destroem o brilho das superfícies.



O aço inox enferruja ou oxida? “Pensei que isso não acontecia!”

O aço inox não oxida da mesma forma que ocorre com o aço carbono, que apresenta uma camada avermelhada de óxido na superfície que descasca. Se você observa manchas na superfície provavelmente são devidas a partículas de ferro que contaminaram o aço inox e são essas partículas que estão enferrujando. Verifique se é possível remover as manchas da superfície do inox. 

Se o ferro estiver impregnado na superfície, tente uma solução de ácido nítrico a 10% e ácido hidrofluorídrico a 2% a temperatura ambiente ou levemente aquecida. Lave a área afetada com água abundante. Pastas decapantes disponíveis no mercado, podem também ser utilizadas.

Qual a diferença entre inox 304, 316, 304L e 316L, Qual usar? 

Na classe de aços básicos da norma americana AISI a diferença prática entre 304 ou 316 e 304L ou 316L é somente o teor de carbono.

Os limites do teor de carbono são máximo 0,08% para 304 e 316 e máximo 0,03% para os aços 304L e 316L.

As faixas de todos os outros elementos são essencialmente o mesmo (a faixa de níquel para 304 é 8,00 – 10,50% e para 304L 8,00 – 12,00%)

Há dois aços europeus do tipo “304L”, 1.4306 e 1.4307. O aço 1.4306 é a variante mais comumente oferecido na Europa exceto na Alemanha.

Os aços 1.4301 (304) e 1.4306 (304L) tem as faixas de carbono máximo 0,07% e máximo 0,03% respectivamente.

As faixas de cromo e níquel são similares, o níquel para ambos os aços é de mínimo 8%.

Os aços europeus para o 316 e 316L, 1.4401 e 1.4404 são iguais em todos os elementos com faixas de carbono de máximo 0,07% para 1.4401 e máximo 0,030% para 1.4404.



Efeito do carbono na resistência à corrosão 

As “variantes” de carbono mais baixo (316L) foram especificadas como alternativas do aço “padrão”316 com carbono normal, para superar o risco de corrosão intercristalina (desintegração na solda), que foi identificado como um problema no início das aplicações destes aços. Isso pode ocorrer se o aço permanece na faixa de temperatura entre 450 a 850ºC por períodos de vários minutos, dependendo da temperatura e exposta em seguida num agressivo ambiente corrosivo. A corrosão, então toma lugar próximo aos contornos dos grãos. Se o nível do carbono é abaixo de 0,030%, então a corrosão intercristalina não ocorre após a exposição nessas temperaturas, especialmente para a escolha dos períodos normalmente expostas na zona afetada pelo calor das soldas em secções “grossas” do aço. 

Efeito do nível de carbono na soldabilidade 

Há um ponto de vista de que os aços com baixo carbono são mais fáceis de soldar que os aços com carbono normal. Não parece estar claro a razão para isso e as diferenças são provavelmente associados com a resistência mecânica mais baixa do aço com baixo carbono. O aço com baixo carbono pode ser mais fácil para conformar e perfilar do que virar, podendo também afetar os níveis de tensão residual deixado no aço após a conformação e adequando para a soldagem. Isso pode resultar que os aços com carbono “padrão” necessitam de maior força para deixa – lo na posição e assim que estiver adequado para soldagem, ficará com maior tendência a recuperar – se, se não estiver permanecido adequadamente na posição. Os eletrodos consumíveis para ambos os aços são baseados na composição química com baixo carbono, para evitar o risco da corrosão intercristalina no trecho de solda solidificada ou da difusão do carbono no metal base (circundante)

RUA Lilian Viana de Araújo, 183 - SÃO JOSÉ DOS PINHAIS - PR - CEP: 83035-120

E-MAIL: schneider@schneidernaval.com.br TELEFONE: (41) 3283-5893

Conheça a ferramenta do POW internet para criação de sites Institucionais e E-commerce